13/08/2015

, , ,

Fantine Tho nos contou sobre seus novos projetos e possível retorno do Rouge


A entrevista de hoje é muuuito especial. Fantine Thó, um dos maiores ídolos da nossa adolescência, voltou ao Brasil para um novo projeto intitulado "Living Room Concert" que consiste em uma série de shows intimistas. Em um desses encontros, tivemos a honra de estar com essa artista incrível durante uma apresentação na casa de um fã na cidade de Natal (RN), para falar sobre música, família, projetos futuros e obviamente sobre o possível retorno do maior grupo feminino que esse país já viu, o Rouge.

Foi um papo delicioso, venha ler:

     +    Completando 10 anos de carreira, Marina Elali comemora sucesso nas novelas. Leia a entrevista!
     +    Juão Nin fala sobre influências, dramas e crescimento da banda Androide Sem Par

Como funciona esse seu novo projeto chamado "Living Room Concert"?

Então, o "Living Room Concert", é muito comum na Europa e nos Estados Unidos. É quando o artista que geralmente toca violão, dá a oportunidade do público receber um show em sua própria casa. Lá (na Europa), eu fiz alguns shows em casas e pensei que gostaria de fazer no Brasil também.

Não é um show somente para fãs, mas para qualquer um que queira contratar.

Não só agora, mas percebemos que você é super próxima de seus fãs. Por que isso é importante para você?


Eu nem gosto de chamar eles de fãs, chamo de meu público. Apesar de gostar de grandes palcos, isso gera uma relação de distância, e eu gosto de me conectar com meu público e medir qual foi o beneficio do trabalho que eu fiz para eles. As pessoas às vezes levam só a idolatria para casa, mas ainda mantém distanciamento de seus ídolos.


Após toda a fama, como você se sente?


Eu continuo trabalhando na minha arte pelo prazer de fazer música. Os fãs quando vem atrás, eles tem fome de algo, justamente por se identificarem com o artista. O que estamos fazendo no workshop é que estamos mostrando para os fãs essa fonte de luz que eles tem, que não depende de mim, mas que é uma luz própria de cada um deles.


O reality "Fabrica de Estrelas" trouxe canções inéditas do Rouge e a esperança pelo retorno, isso pode acontecer?

Por sermos descartadas de um dia pro outro, no aspecto prático existe muita resistência de várias integrantes do Rouge para fazer essa volta, porque temos um lado de experiências traumáticas. Para voltarmos, precisamos de condições básicas, por exemplo trabalhávamos 18 horas por dia e não víamos a grana, fomos completamente exploradas. Se houverem condições essa possibilidade não está descartada e até pensamos em lançar novas canções, inclusive tenho 15 novas faixas produzidas por um DJ holandês da música eletrônica. Já falei para as meninas que viver do passado não dá, precisamos de músicas novas.



(Foto: Nayane Rodrigues)

Algumas integrantes tem carreiras paralelas na televisão. Você não pensa nisso?


Não. O Cirque du Solei me chamou para fazer turnê, e teria bastante atuação mas não achei viável. Seria uma turnê de anos viajando o mundo e eu não aceitei por ter uma filha para educar. 


Quem gosta de pop brasileiro certamente curte Rouge, mas o que você escuta?

Gosto muito de ouvir música erudita em casa, ouço bastante Beethoven por exemplo. Gosto de ouvir coisas diferente do que toca no rádio, porque no mundo inteiro tocam as mesmas músicas.

Quanto a sua filha, que tipo de música você põe para ela ouvir?

A Cristine nem curte muito músicas infantis, geralmente ouvimos música clássica juntas e ela gosta, mas também ela ama cantar Bruno Mars e Katy Perry, assim como os musicais mais clássicos.

Como é para você o processo de composição?

Às vezes bate inspiração, mas nem sempre dá para esperar a inspiração chegar. Estou com um projeto novo que se chama "Retrato Musical" e nele eu passo um tempo com uma pessoa fazendo uma série de atividades de meditação e canalização, onde eu falo o que vejo que está no coração dela e componho sobre. Depois mando para alguns produtores que fazem a base musical e eu faço a letra e melodia em cima. Mas tem várias formas diferentes de compor.

Pode falar sobre seu novo projeto da Converse? Estamos animados!

Claro! É um estúdio onde a marca patrocina diversos artistas e eu tive o privilégio de trabalhar por dois dias produzindo uma nova faixa minha. Fizemos um rock'n'roll com uma banda, ficou maravilhoso. Me ocorreu de convidar alguns fãs para estarem presente e então gravamos um vídeo que resultará em um novo clipe que se Deus quiser irei lançar em breve.

Para finalizarmos, manda um recadinho para os leitores do B'POP que certamente também são seu público:

Gente, quero mandar um beijão para vocês, obrigada por acompanharem o meu trabalho e curtirem esse trabalho que a gente vem fazendo com tanta paixão e carinho. Espero ter a oportunidade de conhecer alguns de vocês pessoalmente como vem acontecendo com essa turnê pelo Brasil, indo de casa em casa com shows exclusivos e quem sabe você realiza um desses shows em sua casa. Me mandem um recado no face e combinamos. Um grande beijo, Deus abençoe vocês!

Facebook: Fantine Rodrigues Thó 


Entrevista: Carol Caiana

Top Ad 728x90