19/08/2014

, ,

Veja a entrevista com Marcus Baby, o artista plástico mais amado pelas celebridades.


Marcus Baby é um artista plástico que estourou na mídia através de sua arte, transformando gente famosa em bonecos, com detalhes tão semelhantes que ele consegue nos fazer sentir como se fossemos um próprio personagem do filme Toy Story. Pensando nisso, no alcance e sucesso de sua arte, preparamos para você uma entrevista bem bacana, vem cá conferir!


Qual é o critério inicial que você faz para escolher quem receberá a sua homenagem?

No início da minha carreira eu só fazia bonecos de quem eu era fã, depois eu parti do principio que a identidade visual contaria muito e um tempo depois o meu objetivo final, o que inclusive eu sigo hoje em dia, é aquele que o artista que consegue sair do seu nicho e explodir para o Brasil e o mundo, na minha visão de artista plástico isso interessa muito.

Qual foi a primeira boneca que você teve essa visão? De ser daqui do Brasil e achar que saiu do nicho a qual já pertencia?

No início foi a Marina Elali que na época ela estava com muita evidência no Brasil inteiro por causa da música dela que estava na novela e virou um sucesso nacional.

A sua arte hoje em dia é muito bem visualizada pelos homenageados. Qual foi a boneca que mais repercutiu?

Talvez a da Paula Fernandes. Ela saiu em muitos veículos de comunicação, a Anitta também, ela publicou no instagram dela e em poucas horas tinham mais de 44 mil curtidas. Valesca Popozuda também, ela ajudou a divulgar bastante.

Desses artistas que você homenageou a maioria deles divulgam o resultado da sua arte principalmente pela riqueza e delicadeza dos detalhes. Teve algum deles que você pensou “não acredito que essa pessoa viu!”?

Ah sim, eu tive meus momentos de fã histérico, isso aconteceu com a Baby do Brasil, a qual sou fã e acompanho a carreira dela há muitos anos.



Como que você lida com o assédio, tanto da parte dos seus fãs, dos fãs dos artistas que você homenageia e por parte de quem cuida da imagem dos homenageados?

Bom o assédio é tranquilo, tanto da parte dos meus fãs quanto dos fã-clubes das pessoas que eu homenageio, inclusive eles são bons de palpites, eu gosto dessa troca de ideias, alguns exageram e marcam de fazer multirão no meu instagram para pedir bonecos, na lista posso citar o Luan Santana, Justin Bieber e Selena Gomez. Já com o pessoal que cuida da imagem dos artista de vez em quando eu tenho problemas, na época da novela "Cheias de Charme", a Rede Globo queria que as minhas bonecas participassem do enredo, no caso as empreguetes iriam se separar e elas teriam um protótipo das bonecas, iria até rolar essa cena. A produção entrou em contato comigo querendo que eu assinasse um contrato de entrega das bonecas para eles e também que eu não permitisse que outras emissoras fotografassem as bonecas, no final das contas eu não aceitei a proposta e não deu certo. Com a Ivete Sangalo aconteceu algo parecido, a produção dela entrou em contato comigo porque coincidentemente na mesma época a Ivete estava lançando a própria boneca dela, e quando as pessoas pesquisavam no google aparecia a minha boneca, com isso tive que explicar que a boneca dela era uma homenagem e que não possuía nenhum fim lucrativo. Nem a da Ivete nem a de nenhum dos homenageados possuem fins lucrativos.

Há algum artista nacional que você já pensa em transformar em boneco?

Eu ando com tanto projeto que estou deixando as coisas acontecerem. Personalidade nacional eu ainda não tenho, até porque os fãs da Erikka Rodrigues me pediram para eu fazer uma boneca dela com cara de rica, e essa foi a última nacional que eu fiz, mas está em pauta uma nova boneca da Beyoncé.


A sua arte tem um padrão de qualidade muito alto, você possui um boneco preferido?

Ah sim, tirando o Pepeu Gomes e Baby do Brasil que foram os primeiros que eu fiz e que foram eles o “pai de todos” digamos assim, eu curto muito o do Supla, pois sou muito fã do dele, gosto da identidade visual dele e a da Wanessa Camargo também.


Top Ad 728x90